6 passos para fazer um Plano de Negócio

Como montar um
Plano de Negócio:
6 passos essenciais

   Objetivos do texto:

  • Apresentar a importância do Plano de Negócio para o sucesso de um empreendimento;
  • Detalhar os principais pontos de um bom Plano de Negócio.

Você decide que chegou a hora de empreender e abrir seu próprio negócio. Obviamente, você deseja que tudo dê certo, fugindo da estatística de que 48% das empresas brasileiras fecham em até três anos. Para isso, dois aspectos farão toda a diferença: uma Gestão Eficiente e um Plano de Negócio. A Inova EJ pode te ajudar com os dois temas, mas hoje falaremos sobre como montar um plano de negócio.

Um plano de negócio é o instrumento que auxiliará você, empreendedor, na análise da viabilidade da ideia de negócio, do mercado, dos produtos e serviços que serão oferecidos, do público-alvo, da concorrência, dos fornecedores, do investimento e muito mais. Esse planejamento dará um direcionamento para o empreendimento, desde a viabilidade de seu lançamento, manutenção ou até ampliação.

OU SEJA…

Um Plano de Negócio não é feito apenas para começar um novo negócio, mas também para mantê-lo atualizado, buscar crédito, investidores ou parceiros. Ele é um instrumento vivo, que deve ser atualizado de tempos em tempos para garantir o sucesso da empresa.

Identificada a oportunidade, é hora de elaborar um planejamento que facilite a estrutura, abertura e gerenciamento do negócio e, quando necessário, até a captação de recursos. O Plano de Negócio apresenta detalhes do empreendimento e define seu modelo de negócio. Ele responde a estas e muitas outras perguntas: o que é o negócio? Como ele funcionará? Como é o mercado? Há viabilidade para abrir esse negócio?

Observe que: ao avaliar a viabilidade do negócio ainda na fase de planejamento, você reduz as perdas, pois não terá aberto a empresa para descobrir que ela não é viável.

Mas… como elaborá-lo?

COMO FAZER UM PLANO DE NEGÓCIO:

É possível encontrar diferentes estruturas e modelos de Plano de Negócio. Entretanto, suas partes principais são:

1. SUMÁRIO EXECUTIVO

A função desta seção é apresentar a empresa e o contexto em que ela está inserida. Trata-se de um ponto importante, pois orienta o alinhamento entre os propósitos da organização e as ações idealizadas. No Sumário Executivo constam informações, como:

  • Resumo do que será apresentado no plano de negócio;
  • Informações dos empreendedores e do empreendimento;
  • Missão, visão e valores da empresa;
  • Ramo de atuação;
  • Forma jurídica e enquadramento tributário;
  • Capital social;
  • Fonte de recursos.

2. ANÁLISE SITUACIONAL E DE MERCADO

Nessa seção, são detalhados os micro e macro ambientes em que a organização está ou estará inserida. Assim, ela deve apresentar, detalhadamente, estes pontos:

  • Análise político-legal
  • Análise do ambiente econômico
  • Análise sociocultural
  • Análise do ambiente tecnológico
  • Análise da concorrência
  • Análise de mercado
  • Análise SWOT (sigla referente a strengths, weaknesses, opportunities e threats, que significam, em português: forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da empresa).

É necessário observar que esses pontos exigem muita pesquisa. Informações e análises distorcidas podem impactar negativamente no negócio. Para evitar esse problema, pode-se contratar uma empresa especializada na construção de planos de negócios e pesquisa de mercado, como a INOVA EJ. Em nosso blog, já falamos sobre como a pesquisa de mercado pode ajudar no sucesso de um negócio

3. PLANO DE MARKETING

4Ps de Marketing no Plano de Negócio

Na seção Plano de Marketing, são detalhados os famosos 4Ps do Mix de Marketing, que contempla:

  • Produto: o que é ofertado, seus atributos e como está relacionado às demandas do público;
  • Preço: relação entre os custos e o lucro desejado, estratégia de precificação e atração do público etc;
  • Praça: onde o produto ou serviço será ofertado, logística e distribuição, posicionamento e segmentação de público, dentre outros fatores relacionados à localização (física e/ou digital) do empreendimento;
  • Promoção: como o produto ou serviço será divulgado para o público, canais de distribuição, abordagem de comunicação para promover o que está sendo ofertado.

4. PLANO OPERACIONAL

Para que o negócio funcione bem, é fundamental ter processos bem definidos. Nesta seção, esses processos são detalhados e devem constar:

  • Layout: apresentação de como os setores da empresa ficarão distribuídos no espaço físico, incluindo o local para acomodação de recursos como mercadorias, matérias-primas etc;
  • Capacidade produtiva, comercial ou de prestação de serviços: considerando a realidade da empresa (quantidade de colaboradores, espaço físico e outros aspectos), define-se quanto pode ser produzido ou quantos clientes podem ser atendidos de forma simultânea, evitando ociosidade, desperdício ou mesmo frustração para clientes;
  • Processos operacionais: detalhamento de como a empresa irá funcionar, quais as etapas de produção, venda, prestação de serviço, pós-venda, rotinas administrativas e outros elementos do cotidiano da empresa.
  • Recursos humanos necessários: apresenta uma projeção da quantidade de pessoas/colaboradores necessárias para que o negócio funcione e atenda às demandas do público e do mercado.

5. PLANEJAMENTO FINANCEIRO

O Planejamento Financeiro talvez seja um dos pontos mais complexos do Plano de Negócio. Se você não tiver experiência sobre o tema, considere contratar uma empresa ou consultor especialista. Em linhas gerais, essa seção apresenta informações sobre:

  • Os investimentos necessários para começar o negócio e para mantê-lo rodando: investimento inicial, capital de giro e investimentos pré-operacionais;
  • Estimativa de custos (matéria-prima, operacionalização, pessoal, comercialização etc) e faturamento mensais;
  • Indicadores de viabilidade (ponto de equilíbrio, lucratividade, rentabilidade e payback ou prazo de retorno do investimento).

6. AVALIAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIO

Realizadas todas as pesquisas necessárias ao planejamento do negócio, é chegada a hora de refletir sobre os achados e responder à pergunta:

Vale a pena abrir, manter ou ampliar o negócio?

Esta talvez seja a parte mais difícil, pois, caso a resposta seja negativa, pode significar o fim do sonho do empreendedor. Entretanto, um dos principais papéis do Plano de Negócio é evitar prejuízos para quem vai empreender ou investir em um negócio, o que é muito positivo. Além disso, durante o processo de pesquisa, outras oportunidades podem ser percebidas. É preciso atenção e disposição para, se necessário, reinventar-se.

Fontes: Sebrae e Portal Contábeis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *